Nebulas Token NAS

$0.8714
Market Cap $ 39.649 MM (#104)
24h Volume $ 2.525 MM
Chg. 24h: 1.14%
Algo. score 3.4/5  (#123)
Show Quick Stats

Nebulas Token News

China's CCID Research Institute Releases Its Latest Cryptocurrency Rankings

China’s CCID Research Institute has released its 11th CCID Global Public Chain Technology Evaluation Index which evaluates and ranks 35 of the top blockchain projects. The top ranked project continues to be EOS, which received a total index value of 155.7. Competitors Tron (TRX) and Ethereum (ETH) claimed the second and third spots respectively, while BitShares (BTS) came in fourth and Nebulas (NAS) rounded out the top 5. The Nebulas project showed the best improvement in terms of ranking on this list, and other notable mentions include Waves, Ethereum Classic, and Tezos. (JF)

12 hours ago

@TokenBatman @money2020 We push hard every day for Nebulas t...

@TokenBatman @money2020 We push hard every day for Nebulas to become a top 10 #Blockchain project! We can't do it… https://t.co/iNKoRAQ1JR

2 days ago

@UgBBD Like #Ethereum, $NAS is used as a gas fee for smart c...

@UgBBD Like #Ethereum, $NAS is used as a gas fee for smart contracts & fund transactions on the Nebulas blockchain… https://t.co/ACgFnnIMNv

2 days ago

Hacker pede Bitcoin em troca de dados de 26 milhões de pessoas

Dados de mais de 26 milhões de pessoas podem ser reféns de um hacker na internet. Após um suposto ataque, o hacker Gnosticplayers determinou que uma recompensa seja paga em Bitcoins para que os dados não sejam revelados. Segundo o perfil, os dados referem-se a seis grandes empresas. Hackers são experts em segurança de dados e utilizam de suas habilidades para subtraírem informações importantes do banco de dados de empresas. Sendo assim, com esse tipo de invasão, perfis populares como o Gnosticplayers força empresas a pagarem recompensas em troca do sigilo de dados de milhões de clientes Estante Virtual pode ser uma das empresas ameaçadas pelo hacker Ataques envolvendo a exposição de dados é muito mais comum do que a maioria das pessoas imaginam. Somente o perfil Gnosticplayers realizou outros três ataques similares e pediu resgate para não expor os dados de várias empresas. Neste quarto ataque, seis empresas estão envolvidas nas informações em posse do hacker, que alega ter informações de mais de 26 milhões de pessoas ao redor do mundo. Dentre as seis empresas envolvidas pelo ataque do hacker está a GameSalad. A empresa de desenvolvimento de videogames foi uma das afetadas pelo ataque. Desse modo, dados de 1,5 milhão de usuários dessa empresa podem estar em posse do hacker, segundo publicação do próprio perfil Gnosticplayers. Além desta empresa, a Estante Virtual está sendo ameaçada pelo hacker. Portanto, são 5.45 milhões de usuários com dados obtidos pelo hacker. Outras citadas pelo hacker é a Coubic e a LifeBear. Ainda fazem parte das ameaçadas a Bukalapak, que atua na Indonésia no setor de e-commerce. Além disso, outra empresa afetada neste país é a YouthManual, voltada para estudantes. Hacker quer receber fortuna em Bitcoins em troca de silêncio Dentre as informações que o hacker promete vazar, estão endereços de e-mail, nomes de usuários e até mesmo hashes contendo senhas. Contudo, é o valor “irrisório” em Bitcoins (BTC) pedido pelo hacker que está chamando a atenção de todos. Para evitar que os dados sejam expostos, Gnosticplayers pede apenas que 1.4231 (BTC) sejam depositados em sua conta. Por outro lado, o valor parece pequeno em relação a vulnerabilidade encontrada pelo hacker, que possui dados de mais de 26 milhões de usuários de várias empresas. Saiba mais em Hacker pede Bitcoin em troca de dados de 26 milhões de pessoas

3 days ago

Visa está contratando gerente para lidar com criptomoedas

Uma das maiores empresas processadoras de pagamento no mundo, a Visa está com uma vaga de trabalho aberta no setor das criptomoedas. Visa quer contratar Gerente que irá conduzir a estratégia de produtos em criptomoedas A Visa possui uma famosa operação financeira de alta escalabilidade de transações por segundo (TPS), sendo uma forte concorrente para o sistema das criptomoedas como o Bitcoin (BTC) e Ethereum (ETH), por exemplo. A vaga para Gerente Técnico de Produto será para trabalhar na Visa Fintech, uma operação baseada em Palo Alto nos EUA. Dentre as qualificações exigidas, o profissional terá que ser expert em criptografia, ter conhecimento do mercado de criptomoedas e experiência na área. O funcionário que será contratado terá que encontrar ainda uma forma de ajudar a empresa nas pesquisas em criptomoedas, direcionando a estratégia da Visa no rumo das criptomoedas. Conforme apontado pelo Livecoins, a Visa e a Mastercard precisam adotar as novas tecnologias descentralizadas para ter uma sobrevida. Saiba mais em Visa está contratando gerente para lidar com criptomoedas

3 days ago

Nebulas NOVA DIP Data Recap - Week 8: Let's take a moment, l...

Nebulas NOVA DIP Data Recap - Week 8: Let's take a moment, look at the winners & review the stats together. Have… https://t.co/haxxmgVdr5

4 days ago

Nebulas Weekly Report #73: We participated in a great @Bitsc...

Nebulas Weekly Report #73: We participated in a great @Bitsclubvp #PCTA meetup in Hong Kong; Two online AMA session… https://t.co/C9v5IQh9F5

5 days ago

Catch a glimpse of Esurfing blockchain Router's new function...

Catch a glimpse of Esurfing blockchain Router's new function, upload one picture from mobile phone to the NAS in o… https://t.co/FF7tKBlNQb

5 days ago

Hey everyone, The Nebulas team is hard at work and one item ...

Hey everyone, The Nebulas team is hard at work and one item soon being released is the #GoNebulas project managemen… https://t.co/noNiEtLJVO

9 days ago

Ecosystem and Marketing Executive of Nebulas, @rubywu_nas sa...

Ecosystem and Marketing Executive of Nebulas, @rubywu_nas said: The blockchain keyword in 2019 is 【collaboration】. https://t.co/C2htXZkCke

11 days ago

Nebulas Weekly Report #72: Performance boost for the mainnet...

Nebulas Weekly Report #72: Performance boost for the mainnet in testing; The project dashboard for community cooper… https://t.co/uXIIlatb3K

12 days ago

The winners of the Nebulas Wiki Bounty Program for January &...

The winners of the Nebulas Wiki Bounty Program for January & February are now available. With these community led a… https://t.co/K2lAOwXWPv

15 days ago

Criptomoeda misteriosa sobe mais de 500% e intriga mercado

Nas últimas semanas a criptomoeda ABBC Coin (ABBC) chamou a atenção de todos no mercado ao subir mais de 500%. Isso aconteceu após a altcoin se valorizar consecutivamente desde a última semana de fevereiro. Com esse desempenho, a ABBC Coin (ABBC) passou a figurar entre as 25 maiores criptomoedas em volume de capitalização no mercado. O preço de uma criptomoeda pode sofrer alterações após ser influenciado por determinados fatores. Entre as grandes apostas das empresas está a atualização de sua tecnologia, expandindo negócios e proporcionando melhorias em todo o sistema. Essas mudanças podem fazer com que uma criptomoeda viva uma enorme onda de valorização. Sendo assim, esse pode ser um dos motivos que levaram a ABBC Coin (ABBC) a subir tanto no mercado nas duas últimas semanas. Preço da ABBC Coin (ABBC) foi manipulado? Por várias vezes o nome da ABBC Coin (ABBC) apareceu entre os melhores desempenhos da semana recentemente. Essa movimentação chamou a atenção do mercado que viu a ABBC Coin (ABBC) crescer e saltar para as 25 maiores criptomoedas. Porém, um aumento inesperado também levanta suspeitas em relação a práticas nada convencionais relacionadas a inflação de ativos digitais. Uma das teorias apontadas pela CCN sugere que a criptomoeda tenha sofrido uma valorização artificial. Isso quer dizer que alguém pode estar por trás desse aumento repentino do preço da ABBC Coin (ABBC), inclusive a própria criptomoeda. Mas há também quem acredite que foi um airdrop que fez o preço da ABBC Coin (ABBC) saltar. Exchange distribuiu 500 mil unidades da ABBC Coin de graça Recentemente a CoinBene distribuiu 500 mil unidades da ABBC Coin (ABBC). Essa distribuição aconteceu poucos dias antes do preço da altcoin disparar no mercado. Desse modo, o airdrop pode ter contribuído para o aumento do preço da ABBC Coin (ABBC). A CoinBene distribuiu a criptomoeda para seus usuários entre os dias 20 a 24 de fevereiro de 2019. 500000 ABBC Give Away on CoinBene Now https://t.co/Tb1OpPak5I — CoinBene Global (@CoinBene) February 20, 2019 A ABBC Coin (ABBC) chegou em quase US$ 50 milhões em volume de negociação recentemente. Além disso, a criptomoeda viu seu mercado de capitalização mais que dobrar, após quase US$ 250 milhões serem injetados na altcoin nos últimos dias. Outra teoria para o crescimento da criptomoeda ABBC Coin (ABBC) pode estar relacionado a investimentos em longo prazo. Esse investimento teria uma relação com tecnologias desenvolvidas pela plataforma da criptomoeda. A ABBC Coin (ABBC) conta com uma tecnologia inteligente em que é possível pagar contas com a leitura facial. Sendo assim, a criptomoeda espera revolucionar a segurança de pagamentos e sua onda de valorização pode ter ligações também com esta tecnologia promissora. Saiba mais em Criptomoeda misteriosa sobe mais de 500% e intriga mercado

15 days ago

Cofundador da Apple disse que Bitcoin será uma reserva de valor mundial

O cofundador da Apple, Steve Wozniak, participou no último dia 26 de fevereiro de um evento da Bloomberg, do qual entra vários temas reforçou sua crença no Bitcoin. Na última semana Wozniak pôde falar com Yousef Gamal El-Din da Bloomberg sobre tecnologia em geral (vídeo abaixo), desde assuntos relacionados a Inteligência Artificial até o Bitcoin. Em determinado momento, Wozniak foi questionado se ainda acreditava no Bitcoin após a incrível destruição de valor que a moeda havia tido. Porém, o cofundador da Apple disse ao apresentador Yousef que não acreditava que o Bitcoin havia perdido valor, mas na verdade havia criado muito valor. O período bear também foi explicado por Wozniak, com o principal causador do episódio sendo a psicologia do mercado cripto, em que os traders ficaram com medo das contínuas quedas de valorização e foram saindo de suas posições compradas, um movimento que abalou os preços nas exchanges. Steve Wozniak não possui mais Bitcoins Wozniak deixou claro que atualmente não possui mais nenhum Bitcoin, muito devido ao aumento elevado nos preços em 2017 em que ele não gostou de acompanhar o cenário. “assim que os preços subiram eu pensei, eu não quero ser uma dessas pessoas, eu nunca usei nem o aplicativo de ações da apple” O cofundador da Apple disse ainda que ele nunca comprou o Bitcoin para ficar olhando gráficos ou se preocupar em ver uma incrível valorização, mas que ele comprou a criptomoeda pensando em gastá-la pelo mundo, em um restaurante, em uma viagem, algo do tipo. Apesar disso, ele ainda acredita que o Bitcoin será a reserva de valor mundial como dinheiro. Steve disse ainda que os especuladores da moeda tinham muita esperança em ver os preços subindo cada vez mais, mas ele não tratava a tecnologia dessa forma. A empresa fundada por Wozniak é uma das maiores do mundo atualmente. A Apple é inclusive uma empresa que está para lançar um produto em blockchain. Apesar de ter vendido seus Bitcoin, Steve Wozniak afirmou que ainda faz experimentos com a moeda. Saiba mais em Cofundador da Apple disse que Bitcoin será uma reserva de valor mundial

15 days ago

Blockchain é tendência em TI e SI para 2019

Os setores que estão em alta no mercado tech são os de Tecnologia da Informação (TI) e Segurança da Informação (SI), sendo que estes tiveram um crescimento acelerado nos últimos anos. Para se ter ideia do cenário, a IDC aponta que em 2018 o crescimento dos dois setores deve girar em torno de 2,5%, enquanto o Garner prevê um aumento de 2,9%, com gastos de R$ 236,1 bilhões. As empresas devem mais do que investir nesse setor, também conhecer a realidade do mesmo e as tendências que estão em voga no mercado mundial, para verificar assim oportunidades de inovar e não perder a passada para seus concorrentes. Blockchain é uma ferramenta importante em 2019 Em uma entrevista ao portal Terra, Dario Caraponale que é sócio da Strong Security Brasil, disse que uma das 4 tendências do mercado em 2019 é a Criptografia de Arquivos. O analista disse que “Com o compartilhamento cada vez maior de arquivos, é necessário redobrar os cuidados para que a informação não seja interceptada indevidamente. E a criptografia é um excelente canal para proteger dados valiosos”. Dito isso, a Blockchain se torna um complemento ideal para a Criptografia de Arquivos, uma vez que protege as informações e registra toda a movimentação dos dados entre usuários. Outras tendências para 2019 Para Dario, as demais tendências no setor de Tecnologia e Segurança da Informação seriam as seguintes: Ferramentas em CASB, Softwares com DLP e Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD). O que chama a atenção é que a blockchain tem aplicação em todos as tendências citadas pelo analista, para o bem ou para o mal, visto que encontra uma forte discussão no tópico da LGPD, uma vez que os dados nas correntes de blocos são imutáveis. A tecnologia blockchain trabalha com criptografia de ponta, podendo ser utilizada em um futuro próximo em várias aplicações, sendo aliada de outras tecnologias emergentes como Internet das Coisas, Inteligência Artificial e Data Science. Muitos países estão se adequando a realidade blockchain, além de muitas empresas que já partiram para cima da nova tecnologia, logo a adoção a está tecnologia promete ser ampla nos próximos anos, a começar por 2019. Saiba mais em Blockchain é tendência em TI e SI para 2019

15 days ago

CVM bombardeia empresas que oferecem “renda fixa” na internet

A CVM publicou um ofício voltado para negócios que envolvem a análise de valores imobiliários. Com essa normativa, algumas empresas terão que adequar as suas propostas ao mercado ou poderão sofrer algum tipo de investigação pela comissão. Segundo o ofício, está proibido oferecer lucros fixos ou expressões que remetem a negócios fraudulentos envolvendo investimentos. O ofício da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) atinge diretamente várias empresas que operam no Brasil. Aquelas famosas propagandas no Youtube com a promessa de “renda fixa” deixarão de incomodar os usuários da plataforma. Dessa forma, com a nova circular normativa da CVM, essa prática publicitária deve deixar de existir no mercado. Chega de prometer ganhos fixos A CVM é a comissão responsável por analisar e fiscalizar práticas envolvendo investimentos e fundos vinculada ao Ministério da Fazenda. Sendo assim, isso significa que vários negócios são investigados pela comissão, como exchanges, ofertas de rendimentos e empresas que oferecem custódia de aplicações financeiras. Praticamente tudo que envolve investimentos no país pode ser investigado por essa comissão, responsável pelo pleno funcionamento do mercado financeiro. Desse modo, a CVM pode orientar empresas sobre práticas abusivas no mercado, coibindo ações que possam levar a prática ilegal de investimentos. E segundo a circular da comissão, está proibido oferecer ganhos fixos para investidores. A CVM determinou que propagandas nas redes sociais e em sites deixem de mencionar ganhos fixos ou qualquer outra expressão que remeta a esse tipo de rendimento “garantido”. Esse tipo de oferta induz os investidores a grandes erros de avaliação que podem resultar em grandes perdas. “as informações divulgadas pelo analista de valores mobiliários devem ser verdadeiras, completas, consistentes e não induzir o investidor a erro. Além disso, devem ser escritas em linguagem simples, clara, objetiva e concisa.” Serviço de análise ou educação financeira? O Ofício Circular CVM/SIN 02/19 parece retratar de uma empresa específica no mercado financeiro. Por outro lado, a comissão quer que fique mais claro as empresas que oferecem conteúdos sobre educação financeira daquelas que prestam serviços de análise. A diferença pode parecer pequena, mas uma empresa que fornece serviços de análises do mercado deve obedecer uma legislação diferente daquelas que produzem apenas conteúdos sobre educação financeira. Sendo assim, algumas empresas do setor não podem vender “gato por lebre”, já que não possuem autorização para a venda de análises de valor mobiliário aos seus clientes. Saiba mais em CVM bombardeia empresas que oferecem “renda fixa” na internet

15 days ago

Nebulas NOVA DIP Data Recap - Week 6: The competition is he...

Nebulas NOVA DIP Data Recap - Week 6: The competition is heating up! This week saw a new all-time high daily trans… https://t.co/tjoMVpSafV

18 days ago

Nebulas's 2019, From the launch of our new mainnet Nebulas N...

Nebulas's 2019, From the launch of our new mainnet Nebulas NOVA to "On- chain Community Governance and Collaboratio… https://t.co/SOQizRr0rr

18 days ago

The 2019 Community Roadmap has arrived showing many positive...

The 2019 Community Roadmap has arrived showing many positive changes coming to Nebulas development, decentralizatio… https://t.co/n08s1ccGR3

22 days ago

Nebulas NOVA DIP Data Recap - Week 5: Test & experience ...

Nebulas NOVA DIP Data Recap - Week 5: Test & experience Developer Incentive Protocol (DIP) on testnet right away! J… https://t.co/IvRq0lFFjn

24 days ago

Let's celebrate the first anniversary of the Nebulas Researc...

Let's celebrate the first anniversary of the Nebulas Research Institute and see what they have done in the past yea… https://t.co/yBKCFjqnwD

25 days ago

Aplicações em maconha deu mais lucro que investimentos em Bitcoin

Por: Livecoins Quem decidiu aplicar seus investimentos em maconha em 2018 teve mais rendimentos que aqueles que apostaram no Bitcoin (BTC). Segundo a gestora de fortunas Carol Pepper, o retorno financeiro de investimentos aplicados no cultivo de maconha foram surpreendentes. O mercado de cannabis sativa, nome científico para a popular maconha, sofreu uma grande expansão nos últimos anos. Em 2018 especificamente, o Canadá abriu suas portas para políticas públicas voltadas ao cultivo e utilização da planta no país. Desse modo, uma nova indústria surgiu movimentando milhões de dólares anualmente. Além do Canadá, alguns estados dos EUA também fazem parte da seleta lista de territórios em que a erva é descriminalizada. Mercado de criptomoedas caiu enquanto o de maconha cresceu Enquanto o mercado da cannabis sativa sofreu uma expansão considerável em 2018, o Bitcoin (BTC) viu seu preço despencar no mesmo período. No final de 2017 a criptomoeda quase atingiu US$ 20 mil e terminou no final de 2018 abaixo de US$ 4 mil. Essa queda fez com que muitos perdessem seus investimentos no mercado. Além disso, a capitalização encolheu mais de US$ 600 bilhões em menos de doze meses. Carol Pepper falou sobre a expectativa do mercado de cannabis sativa. Em entrevista à CNBC, a gestora de fortunas comentou sobre o crescimento de ações de empresas no setor. Enquanto isso, o Bitcoin (BTC) e outras criptomoedas acumularam uma enorme perda no mesmo período em que investidores lucravam com a alta de ações envolvendo empresas do setor da indústria da planta na América do Norte. “Eu acho que é uma planta fenomenal que está fazendo muito bem para o planeta”. Com uma indústria multifacetada, a cannabis sativa pode ser ampliada para uma infinidade de utilidades. Dentre elas está a utilização medicinal. Já são vários medicamentos e derivados da planta utilizados em tratamentos medicinais. Com uma gama de setores a ser explorada, essa nova indústria pode ser considerada uma das mais promissoras da atualidade, segundo Pepper. “As aplicações médicas para a cannabis são surpreendentes. A pesquisa está sendo feita e eu realmente acho que esta é a próxima área de enorme crescimento”. Ações de empresas do setor cresceram mais de 100% em 2018 Em movimentos contrários, quem aplicou seus investimentos em maconha teve uma grande surpresa. Segundo Carol Pepper, vários fundos de investimentos e ações relacionados à planta tiveram uma enorme valorização. Em alguns casos, houve uma valorização de mais de 100% nas ações de empresas do setor. A Cronos Group é uma empresa líder no setor de cannabis sativa no Canadá. O país recentemente autorizou a utilização da planta não somente para fins medicinais como para recreativos. Isso fez com que a economia do país sofresse um grande impacto positivo. Por outro lado, alguns investidores apontam para esse emergente mercado como uma nova bolha prestes a estourar. Mais informações em Aplicações em maconha deu mais lucro que investimentos em Bitcoin

a month ago

Ripple XRP pode valer R$ 2.200 cada até o final do ano? Comunidade acredita que sim

Por: Livecoins Boa parte da comunidade da criptomoeda XRP acredita que o preço da moeda digital chegará a US $ 589 ( R$ 2.000 ) antes do final do ano. De acordo com discussões entre membros da comunidade Ripple, existem 3 teorias sobre a possibilidade da XRP valer US $ 589 antes de 2019 acabar. A primeira e mais discutida forma seria o lançamento da xRapid, que poderia alavancar o preço da moeda devido a um aumento no volume de negociações iminente. Em segundo lugar, uma queima de tokens XRP quando esse volume aumentar também irá impulsionar o preço. E por último, a atualização da XRP, chamada Cobalt, que vai aumentar a velocidade de transações do XRP. Para a comunidade, das três teorias, o lançamento da xRapid é a mais provável que elevará o preço da XRP. xRapid é o produto mais rápido da Ripple para transações internacionais e utiliza o XRP para a transferência. Isso significa que qualquer volume proveniente de pagamentos internacionais se traduzirá diretamente como volume de negociação XRP, já que o XRP necessário para a transação será comprado e vendido nas plataformas de envio e recebimento da remessa. XRP pode valer R$ 2.000? O canal Working Money no YouTube fez um cálculo do que aconteceria se a xRapid fosse lançada. Ele calculou a flutuação diária média da XRP e o volume médio diário da moeda digital, que foi de 7,25% e US $ 191 milhões, respectivamente. Ele então começou a hipotetizar qual seria o preço da XRP se a Ripple capturasse 1%, 5%, 10% e 100% da participação de mercado atual da plataforma SWIFT. A SWIFT processa aproximadamente US $ 4,7 trilhões em todos os dias úteis. Se a xRapid assumisse 1% desse negócio, o volume diário da xRapid seria de US $ 47,8 bilhões. Considerando que este número é 250x maior que o volume médio negociado de XRP atualmente, então a diferença é de 1.816%, o que significa um preço de US $ 5,56 por XRP. Da mesma forma, caso a xRapid assumisse 5% do volume da SWIFT, então cada XRP valeria US $ 26,62 (R$ 97), devido ao volume de negócios estar em torno de US $ 239 bilhões. 10% do volume da SWIFT equivaleria a um preço de US $ 55,6 (R$ 205) por XRP. XRP foi criado para valer US $ 10.000 Quando o XRP foi criado, ele foi desenvolvido para substituir os sistemas financeiros institucionais e de varejo em todos os mercados ao redor do mundo. Uma análise em como o XRP foi construído torna isso evidente. Uma citação um tanto famosa do co-fundador da Ripple Labs, Arthur Britto, fornece uma pista tentadora. Em 2017, ele escreveu: “O XRP deve ser escalonável para suportar 7,5 bilhões de pessoas”. Essa citação dá informações sobre as ambições da Ripple de ter seu token XRP sendo usado pela população mundial. A XRP foi projetada para valer US $ 10.000. Para isso acontecer no entanto, o valor de mercado da Ripple teria que chegar a 413 trilhões de dólares. E claro, teria que cumprir seu propósito: “substituir todo o sistema financeiro institucional atual. Pelo que sabemos isso não está acontecendo, afinal, as próprias empresas estão criando suas próprias soluções e blockchains privadas. Além disso, várias instituições preferem Stellar a Ripple. Então, a ambição da Ripple e o entusiasmos da comunidade pode ser apenas uma empolgação exagerada. Um sonho. Inclusive, outros membros da comunidade Ripple lembraram que as transações com XRP por instituições não aumentam o valor da moeda digital. Mais informações em Ripple XRP pode valer R$ 2.200 cada até o final do ano? Comunidade acredita que sim

a month ago

BTG Pactual: banco brasileiro pretende levantar US$ 15 milhões com lançamento de criptomoeda

Por: Livecoins Após o JP Morgan, agora é a vez da instituição brasileira BTG Pactual se juntar ao ecossistema de criptomoedas. A novidade veio a público na última quinta-feira (21), quando o maior banco em investimento autônomo da América Latina anunciou o lançamento da criptomoeda ReitBZ. Em pronunciamento a Bloomberg, Gustavo Roxo, diretor de tecnologia do BTG Pactual, revelou os objetivos do banco: levantar até US $ 15 milhões por meio do token que será apoiado em ativos imobiliários estressados — ou seja, imóveis considerados inaptos para venda, mas disponíveis para serem usados como garantia. Dessa forma, o lastro do ReitBZ serão propriedades urbanas impactadas pela recente recessão econômica no Brasil, localizadas nos estados do Rio de Janeiro e São Paulo, conforme divulgou um comunicado do banco para a imprensa. Sem cobertura do Fundo Garantidor de Créditos (FGC), a aposta é direcionada para investidores dispostos a arriscar. Em contrapartida, o banco sugere que os retornos anuais deverão ficar entre 15 e 20%, com base no Real. Aos interessados, a compra será feita por intermédio do Gemini Dollar, plataforma digital desenvolvida pelos irmãos Winklevoss. “Criamos essa estrutura porque acreditamos que os investidores no mundo digital têm maior apetite por riscos”, ponderou Roxo. Não tem no Brasil Paradoxalmente ao fato de o BTG ter suas raízes fincadas nas cidades do Rio de Janeiro e São Paulo, o token não estará disponível para investidores do Brasil e dos Estados Unidos. Pelos menos por enquanto. O motivo principal é a regulamentação incipiente do mercado de criptomoedas no país, permeado por altos custos e grande burocracia. Entretanto, André Portilho, sócio do BTG Pactual e também o responsável pela implementação do projeto, não descarta o potencial do mercado interno. Como destaca em entrevista para o Cointelegraph: “Vai ser um processo natural pra gente ver essa oferta sendo feita no Brasil também”, ressalta. Acrescentando ser uma questão de tempo para a questão de regulamentação das criptomoedas evoluir em terras brasileiras. Mais informações em BTG Pactual: banco brasileiro pretende levantar US$ 15 milhões com lançamento de criptomoeda

a month ago

Universidade Unochapecó: pioneira no uso de blockchain para proteger registros acadêmicos

Por: Livecoins A Universidade Comunitária da Região de Chapecó - Unochapecó, é uma instituição comunitária, profundamente identificada com o desenvolvimento regional e muito atenta às necessidades da população e das organizações situadas em sua região de abrangência. Nascida da iniciativa de lideranças locais com o intuito de garantir a oferta de educação à população da região, há 40 anos vem contribuindo ativamente com o desenvolvimento do oeste catarinense, por meio da formação de profissionais qualificados, da educação continuada para profissionais e lideranças, da produção e publicação de novos conhecimentos, do desenvolvimento de ações comunitárias voltadas à promoção do desenvolvimento econômico, social, cultural, esportivo e da saúde, além de ações de assistência social. Nos últimos anos, a Unochapecó vem priorizando investimentos na sua modernização, bem como na aproximação com o setor produtivo e organizações sociais, aprimorando seus instrumentos de apoio ao desenvolvimento, com foco na inovação tecnológica, na agilidade e na qualidade dos serviços que presta e na transformação das pessoas como um modo privilegiado de promover o desenvolvimento. O objetivo do projeto Diversos registros precisam se tornar imutáveis depois da sua geração, como por exemplo os fechamentos de diário de classe das disciplinas (frequência, notas e conteúdos). Essa é uma das mais importantes informações no transcorrer da vida acadêmica do aluno, e geralmente alvo de muitas tentativas de fraudes. Embora a Unochapecó utilize um conjunto robusto de sistemas para evitar fraudes, o objetivo deste projeto foi construir uma camada adicional de segurança para petrificar os registros acadêmicos para tornar impossível qualquer parte envolvida acessar e realizar alterações de forma a distorcer os dados lançados pelos professores. Além disso, o projeto permitiu simplificar o processo de geração dos relatórios de registros acadêmicos, entregando ao professor mais autonomia, menos dependência da Secretaria Acadêmica, reduzindo custos e aumentando a rastreabilidade. Como funciona a solução Mais uma vez mostrando-se uma universidade inovadora, a Unochapecó adotou blockchain como a solução para atender aos objetivos deste projeto. Foi implementada uma rede privada com três nós, sendo um na infraestrutura local da universidade e os outros dois em nuvem pública, e a solução em blockchain foi construída na forma de APIs integradas ao sistema de gestão acadêmica da universidade, o Minha Uno. Trata-se de um projeto pioneiro de uso de blockchain em universidades no Brasil, e a solução implementada garante integridade, autenticidade, rastreabilidade, inviolabilidade e segurança dos dados relacionados aos registros acadêmicos dos alunos, que a partir de agora ficam armazenados nessa cadeia de blocos (blockchain). O registro no diário de classe é realizado por meio de aplicativos que fazem parte do Minha Uno, plataforma própria de gestão acadêmica adotada pela Unochapecó, e já no acesso dos professores há uma mudança: a adoção de um segundo fator de autenticação (2FA) baseado em uma chave privada gerada e armazenada no smartphone do professor. No momento que o professor faz o acesso ao sistema Minha Uno utilizando esse novo método, um evento é gerado e esse login é registrado na blockchain, garantindo rastreabilidade total dos acessos realizados pelos professores. Depois do lançamento dos registros, os docentes geram os relatórios de forma digital e o sistema identifica a identidade digital única destes documentos, gerando o hash dos arquivos para que sejam registrados na blockchain. Uma assinatura digital baseada na identidade do professor é adicionada e as informações dos relatórios são registradas em um bloco da blockchain, petrificando estes dados no sistema da universidade. Um recibo é gerado e anexado automaticamente aos relatórios com os registros acadêmicos, indicando o hash dos documentos, login com as informações do professor, bloco em que foi incluído na blockchain, e outras informações relevantes ao processo, permitindo total rastreabilidade. Benefícios com o uso da solução Maior nível de segurança no acesso ao professor, eliminando a possibilidade de alguém acessar utilizando as suas credenciais Maior rastreabilidade dos acessos dos professores ao sistema Minha Uno Garantia de integridade e inviolabilidade dos dados registrados na blockchain Eliminação da necessidade de impressão dos relatórios de registros acadêmicos Eliminação da necessidade de assinatura dos professores dos documentos impressos Redução da carga de trabalho da Secretaria Acadêmica no que diz respeito à geração, impressão e controle dos registros acadêmicos Aumento da confiabilidade sobre o processo de registros acadêmicos, ampliando a credibilidade da Unochapecó no mercado Ampliação da visão inovadora da universidade, posicionando-se como uma das primeiras a implementar a tecnologia blockchain em seus processos Criação de uma infraestrutura de rede blockchain da

a month ago

70% da geração do milênio investiria em criptomoedas se empresas tradicionais oferecessem essa opção

Por: Livecoins De acordo com um estudo recente realizado pela plataforma de negociação social eToro, 71% dos entrevistados da geração do milênio afirmaram que “investiriam em criptomoedas se fossem oferecidos por instituições financeiras tradicionais”. Além disso, a pesquisa revelou que quase metade dos negociantes de criptomoedas com menos de 30 anos nos Estados Unidos confiam mais em corretoras de criptomoedas em comparação com as bolsas do mercado de ações no país. A pesquisa foi realizada pela empresa de pesquisa e estratégia de mercado Provoke Insights em nome da eToro, 1.000 traders nos Estados Unidos foram ouvidos. A pesquisa revelou ainda que 93% dos traders da geração do milênio prefeririam muito mais investir em moedas digitais fornecidas por instituições financeiras tradicionais. Além disso, 71% dos entrevistados da geração millennial que não participam do mercado de criptomoedas mostraram que ficariam mais interessados a comprar moedas digitais se as instituições tradicionais oferecessem essa opção de investmento. Falando sobre os resultados da pesquisa, Guy Hirsch, diretor administrativo da divisão eToro dos Estados Unidos, falou sobre o que ele percebeu ser uma “mudança geracional”, na qual a confiança dos investidores, com mais investidores voltando-se mais para plataformas de criptomoedas e longe de investidores tradicionais. Ele explicou: “A imutabilidade é nativa na blockchain, e isso torna a auditoria em tempo real sensível e econômica, e é por isso que a geração do milênio e a Geração X percebem as corretoras de criptomoedas como menos propensas a serem manipuladas e menos propensas a ser um lugar onde atores ruins são recompensados com dinheiro dos usuários” Ele também previu que, embora esses números pareçam significativos, certamente haverá um aumento na confiança nas plataformas de criptomoedas, assim que os jovens investidores obtiverem uma educação abrangente sobre o funcionamento das moedas digitais e da tecnologia blockchain. Outra descoberta importante que foi revelada pela pesquisa é que tem havido uma demanda crescente por produtos e ofertas alternativas baseadas em criptomoedas. No entanto, enquanto a demanda por ativos digitais como parte de carteiras aparentemente está aumentando, isso não se tornará muito popular até que ocorram mudanças específicas de mercado e ajustes regulatórios implementados por instituições e reguladores. Para adoção de criptomoedas, o futuro é brilhante Esses resultados mostram que, embora a adoção generalizada de criptomoedas possa não ser uma realidade, por enquanto, a mudança geracional poderia acontecer no futuro. Não é uma questão de saber se os ativos digitais receberão adoção comum; é uma questão de quando. A pesquisa do eToro mostra um sentimento semelhante a um estudo conduzido pelo Centro de Financiamento Alternativo de Cambridge em dezembro de 2018. De acordo com o órgão de pesquisa, o número de usuários de criptomoedas verificados aumentou quase duas vezes seu tamanho médio nos primeiros nove meses do ano passado, mesmo quando o mercado de criptomoedas enfrentava uma de suas maiores quedas. O relatório mostrou que o número total de contas de usuários em plataformas de criptomoedas agora é de mais de 139 milhões, com usuários verificados excedendo 35 milhões. O artigo 70% da geração do milênio investiria em criptomoedas se empresas tradicionais oferecessem essa opção foi publicado originalmente em Livecoins.

a month ago

Com pouco usuários de Bitcoin, concorrente do Gmail, FastMail deixa de aceitar a moeda digital

Por: Livecoins Um dos concorrentes do Gmail, chamado FastMail, anunciou aos seus usuários que não irá mais aceitar Bitcoin no serviço. O motivo que levou o FastMail a parar de aceitar as criptomoedas seria que a base de usuários que realizam pagamentos através dessa modalidade é muito pequena. Com uma base pequena de usuários, os custos, de acordo com a empresa, ficam insustentáveis e serão interrompidos em março de 2019. Esse caso veio a tona assim que um usuário do Reddit que recebeu o informe publicou para a comunidade cripto ainda no dia 21 de fevereiro. Fonte: Reddit r/btc A nota da empresa dizia que “Bitcoin é usado apenas por um pequeno número de clientes, o que infelizmente torna insustentável o custo de integração de manter o suporte Bitcoin. Você ainda pode pagar com o Bitcoin até 31 de março de 2019. Adicione fundos à sua conta agora para serem usados em futuras renovações”. Ao parar de trabalhar com criptomoedas em seu serviço, o FastMail irá aceitar as opções tradicionais como Visa, MasterCard, PayPal e American Express, ou seja, vai andar na contramão do desenvolvimento. A empresa não aceita dinheiro em espécie, transferência bancária, cheques e nem cartão de crédito pré-pago. Há alguns outros provedores de e-mail que continuarão aceitando criptomoedas, mas para quem é acostumado com uma plataforma e confia nela, uma notícia dessa é lamentável. A empresa aceita criptomoedas desde 2016, mas especula-se que o serviço seja intermediado pela BitPay. Nesse caso, “a culpa” está recaindo nessa última, pois, ao agir como intermediário reduz um pouco as margens de lucro, justificando o que a FastMail chamou de custos insustentáveis. Adoção de criptomoedas pelo mundo Mesmo com a empresa parando de aceitar Bitcoin, muitas outras irão facilitar cada vez mais a adoção das criptomoedas, afinal de acordo com especialistas essa moeda é a evolução natural do dinheiro. A comunidade cripto terá outras opções de e-mail que aceitam criptomoedas, como ProtonMail, AFAIK, tutanota, entre outros. Sempre verifique nas comunidades se os serviços são de confiança antes de utilizar. Na dúvida, faça como falou Jimmy Song em 2018, não gaste seus Bitcoins, gaste com cartão de crédito. O artigo Com pouco usuários de Bitcoin, concorrente do Gmail, FastMail deixa de aceitar a moeda digital foi publicado originalmente em Livecoins.

a month ago

Mercado Bitcoin lança aplicativo para iOS

Por: Livecoins O Mercado Bitcoin (www.mercadobitcoin.com.br) - maior corretora de criptomoedas da América Latina -, lançou ontem, 20 de fevereiro, o aplicativo para a plataforma iOS que permite que os usuários realizem transações de criptoativos com mais agilidade, de forma segura e prática. O lançamento faz parte da estratégia do Mercado Bitcoin de ampliar ainda mais sua liderança no mercado de criptoativos e faz parte de um plano de longo prazo para expansão das operações da corretora no país. Hoje são negociadas Bitcoin, Bitcoin Cash, Litecoin, XRP (Ripple) e Ethereum. “Depois do lançamento do app para Android, o iOS era uma das maiores demandas de nossos clientes. Passamos por um longo processo de validação junto a Apple, buscando garantir ainda mais segurança nas transações e agora trazemos mais este benefício para a nossa base de investidores”, explica Reinaldo Rabelo, Diretor do Mercado Bitcoin. O aplicativo oferece aos usuários a possibilidade de fazer consultas e transações com agilidade, de onde estiverem e conta com ferramentas como o Dashboard, no qual os usuários poderão consultar o saldo em reais e em criptoativos de uma forma rápida e fácil; os Gráficos, para acompanhar a variação dos ativos em tempo real; as Negociações, com fácil acesso ao livro de transações; as Ordens, onde o investidor poderá consultar o status das suas solicitações; Compra e Venda, para a negociação de criptoativos. O artigo Mercado Bitcoin lança aplicativo para iOS foi publicado originalmente em Livecoins.

a month ago

Mineração de criptomoedas em 2019, problemas e soluções

Por: Livecoins A mineração de criptomoedas em 2019 passa por uma fase muito ruim, sendo melhor por vezes desligar os equipamentos do que tentar a sorte de obter algum lucro com a atividade. Devido a isso, a empresa Argo afirmou no último dia 15 que estaria a abandonar a mineração de criptomoedas, com a justificativa do mercado bear impactando a suas atividades. Esse caso chama a atenção, visto que a Argo era uma empresa inglesa, inclusive listada na bolsa de valores do país, que operava máquinas em Quebec, no Canadá. As únicas operações que se mantém com um inverno cripto são as que estão em locais que possuem incentivos em relação à energia elétrica, mais do que isso, escolhendo muito bem a criptomoeda a ser minerada. Como encontrar as melhores opções para se minerar? Boas opções para se minerar são cada vez mais raras, logo ter lucro é para quem consegue analisar o cenário de forma fria e calculista. Com isso algumas calculadoras de mineração podem ajudar os mineradores a encontrar a opção correta, como a Whattomine, CoinWarz e CoinCalculators. Por lá muitas ideias podem ser dadas a quem possui equipamentos destinados a essa atividade. Outra possibilidade é trabalhar com pools de mineração multi-algoritmos (multi-algo), que permitem que você empreste seu poder de hash para uma determinada criptomoeda, mas ao receber a recompensa pode escolher em qual cripto você deseja seu prêmio. Algumas populares são Mining Pool Hub, zpool, Zergpool e BlockMasters. Para comparar os ganhos entre criptomoedas e mesmo multi-algo pools, você pode checar também o Minerstat com sua Calculadora de Mineração. Ele é usado da mesma maneira que outras calculadoras de mineração, mas mostrará os ganhos estimados de moedas e os pools de multi-algoritmos mais populares. Outros fatores a serem analisados? Os mineradores devem observar o volume da moeda-alvo a ser minerada, mesmo sendo apontada como vantajosa por alguma calculadora. De nada adianta minerar um cripto que não tenha liquidez. O valor da mesma no mercado também deve ser considerado. Preste atenção também em taxas das corretoras, taxas de pools e qual o pagamento mínimo. Analise as exchanges que aceitam as moedas e não deixe criptomoedas paradas nesses ambientes. Verifique nas comunidades cripto também possíveis dúvidas sobre as pools de mineração, se são confiáveis, pagam certo e taxas. Esse estudo faz com que pelo menos se conheça a realidade correta da criptomineração, antes de comprar equipamentos e ter prejuízos. Os mineradores devem permanecer atentos as mudanças no setor, pois, uma criptomoeda vantajosa hoje pode não ser mais amanhã. Posso começar a minerar em 2019? É um trabalho que se feito da maneira certa pode render algo, mas deve ser muito bem estudado a sua viabilidade de forma prévia. Apesar disso, muitas empresas estão fechando como a Argo, logo é necessária atenção aos mínimos detalhes. A mineração de criptomoedas quando os preços estão em baixa é complicada de se manter, sendo melhor remunerado quem adotar estratégias fundamentadas para se buscar sucesso. O artigo Mineração de criptomoedas em 2019, problemas e soluções foi publicado originalmente em Livecoins.

a month ago

Bitcoin.org traduzido em 25 idiomas, inclusive português

Por: Livecoins O website Bitcoin.org é uma referência quando se pesquisa sobre o tema na internet, o site está agora disponível em mais de 25 idiomas. Esta página explica em vários documentos a palavra de Satoshi Nakamoto, sendo o domínio pertencente ao Cobra e Will Brins, dois entusiastas de bitcoin reconhecidos mundialmente. O trabalho do Bitcoin.org reflete as ações conduzidas pela equipe Bitcoin Core, responsáveis pelo desenvolvimento do BTC, a maior moeda digital do mercado de criptomoedas. No último dia 14 de fevereiro de 2019, um post no blog do Bitcoin.org anunciou que mais de 25 idiomas estão a disposição das comunidades cripto mundiais em 2019, sendo o Português do Brasil uma das opções da lista. Esse domínio foi criado por Satoshi Nakamoto, sendo uma das primeiras opções nas pesquisas sobre Bitcoin a aparecer para os usuários. Um dos responsáveis pela tradução, que foi mencionado no site oficial do Bitcoin.org com o nick mateusnds, é o autor no Livecoins. A tradução oficial para língua portuguesa (do Brasil) foi atualizada no GitHub no dia 07 de dezembro de 2018. Apesar de ser um website privado, o código funciona de forma aberta para colaboração de quaisquer interessados. Ver uma documentação técnica de qualidade sendo disponibilizada para Português do Brasil coloca o país no destaque mundial. Página concorrente (não se confunda) O website Bitcoin.com, entretanto, apesar de se apresentar como o verdadeiro Bitcoin, na verdade, representa o Bitcoin Cash (BCH) criado por Roger Ver. Como o domínio do site é parecido, muitas pessoas acessam esse ambiente e acabam caindo em um conteúdo que não é o relacionado ao Bitcoin Core (BTC). Esse fato já causou muitos prejuízos a pessoas interessadas em Bitcoin pelo mundo todo, portanto, cabe o alerta legal do Livecoins. O artigo Bitcoin.org traduzido em 25 idiomas, inclusive português foi publicado originalmente em Livecoins.

a month ago

Como ganhar dinheiro no mercado de criptomoedas

Por: Livecoins “As antigas entidades do mundo das criptomoedas dizem que nos anos anteriores o ciclo do Bitcoin foi igual.” Uma escalada de emoções e sentimentos é o que o mercado de criptomoedas proporciona para todos aqueles que se atrevem a desvendar e percorrer as mais diversas especialidades nele existentes. O universo Blockchain e Bitcoin trouxe à tona um exército de novos ‘guerreiros’ que, convictos da palavra e projeto trazidos por Satoshi Nakamoto, se dispuseram a entender e movimentar desde o ano de 2009, bilhões de dólares nos mais diversos segmentos existentes nessa grande comunidade criptográfica que abriga descentralizações e sonhos de milhares de empresas e pessoas. Num espaço curto de tempo, desde o nascimento dessa nova era do mercado financeiro baseado na internet e nas criptomoedas, grandes corporações surgiram do dia para a noite, através de ICOs milionárias, como por exemplo a exchange mais famosa e estável do cenário, a Binance. Outro sem número de milionários nasceram, alguns por golpe da sorte ao terem comprado ou minerado milhares de criptomoedas e tokens numa época que qualquer pessoa “normal” diria “você está ficando louco e vai jogar tempo e dinheiro fora.” Outros visionários, previram que mais cedo ou mais tarde, tokens e criptomoedas seriam utilizados por milhões de pessoas em todo planeta, tendo como principal qualidade, a forma transfronteiriça de escoamento de divisas, valores financeiros entre indivíduos, sem a necessidade de um terceiro agente para aprovar ou validar essa transação, como bancos e instituições ‘garantidoras”. Em meio a todo este cenário, milhares de pessoas vislumbraram nesse mercado uma oportunidade de trabalho, de renda extra, ou até mesmo de mudança completa do ramo de atuação, caso por exemplo deste que vos escreve. É preciso notar porém, que o mercado de Blockchain, criptomoedas e tokens necessita de muito mais que entusiasmo e vontade para que possa servir de cenário para sua atuação e meio de vida. A primeira coisa a se fazer é identificar em qual das posições você poderia e gostaria de se encaixar. CONSULTORIA Você pode começar por exemplo atuando como um consultor, uma pessoa responsável por ensinar os novos entrantes no mercado a entender totalmente sobre essa tecnologia que vai mudar completamente o mundo no aspecto financeiro. AIRDROP Para quem fica navegando constantemente na internet, existem os famosos Airdrops que são bônus dados em forma de tokens ou criptomoedas para que algumas tarefas sejam cumpridas. As equipes de marketing dos times de moedas ou exchanges se utilizam muito desse recurso para aumentar os clientes, cadastros ou simplesmente divulgar um projeto ou serviço que esteja nascendo no mercado. TRADE E CUSTÓDIA Os usuários com ‘mais tempo de casa’ podem atuar na custódia de criptomoedas para clientes. A custódia nada mais é do que ‘cuidar’ do portfólio de um cliente, utilizando as criptomoedas (ou outro tipo de fundo) para fazer operações no mercado, retirando uma porcentagem dos lucros como pagamento pelo serviço. DESENVOLVIMENTO Se você for um profissional que tem conhecimentos de programação, uma boa notícia: o mercado de Blockchain cresce ferozmente a cada dia e mais e mais vagas são disponibilizadas nas principais plataformas de anúncio, como pode ser visto nas imagens abaixo. A busca por profissionais com conhecimento em Blockchain tem crescido constantemente e se posicionar nesse momento pode fazer diferença num futuro muito próximo. EDUCAÇÃO Para profissionais que já possuem formação técnica e mestrado em algumas áreas de tecnologia, e claro, que já estejam inseridos no cenário Blockchain, já começam a despontar as primeiras faculdades oferecendo conteúdos específicos de formação nessa área, bem como os cursos e workshops com target bem definido para os que são da área educacional. MINERAÇÃO Apesar do aumento do poder de processamento para se minerar criptomoedas, é possível encontrar entre as mais de 2.000 criptomoedas e tokens existentes no mercado opções de mineração de baixo custo com um certo nível de retorno. PUBLICIDADE E OUTROS No mais, profissionais de mercado financeiro, publicitários, vendedores e todos aqueles relacionados à apresentação de um produto ou serviço para massas podem encontrar no mercado de Blockchain uma oportunidade para experimentar novos desafios na carreira e mudança no que diz respeito à futuro. Gosta desse mercado? Quer atuar nele? Procure se especializar diariamente com notícias, portais especializados, cursos, workshops e eventos da área. A área de Blockchain vai crescer muito nos próximos anos e muita mão de obra será necessária para alavancar e tornar mundialmente conhecida a obra de Satoshi Nakamoto. Grande abraço; Emanuel Takahashi www.Emanuel.com.br +5511982051441 Assista também o vídeo: O artigo Como ganhar dinheiro no mercado de criptomoedas foi publicado originalmente em Livecoins.

a month ago

Binance DEX está no ar para testes

Por: Livecoins A Binance DEX finalmente está no ar para testes a partir do 20 de fevereiro, cumprindo a promessa de data feita pela maior exchange em volume do mundo, conforme havia sido noticiado pelo Livecoins que ocorreria. Prazo cumprido, os traders podem agora brincar com o serviço antes que a oficial chegue definitivamente, afinal essa é uma versão para testes, mas que não deixa de ser relevante, visto que nesse processo os erros poderão ser corrigidos sem comprometer as finanças de ninguém. Isso pode dar um novo rumo para as exchanges descentralizadas, que não se firmaram em volume no mundo ainda. Apesar dos ânimos do mercado darem uma leve azedada nesta quarta, o valor do token BNB se valoriza mais de 1% nas últimas 24 horas, no momento da escrita deste, e segue na posição 10 do market cap. O artigo Binance DEX está no ar para testes foi publicado originalmente em Livecoins.

a month ago

Come on over to the Nebulas Community forum and share your t...

Come on over to the Nebulas Community forum and share your thoughts about #blockchain governance, the name for the… https://t.co/hsbBTu8b03

a month ago

Cocos-BCX, Loom Network and Tron trifecta aiming to change the crypto space for the better

The blockchain technology and cryptocurrency space has always been regarded as revolutionary. Due to the numerous benefits it offers, even top industry players are now looking into its use-cases. One of the key sectors blockchain has proved itself to be beneficial is the gaming sector. In fact, the gaming sector is speculated to be blockchain’s “killer app,” the catalyst for its mass adoption. Presently, the notable players in the space are TRON, Loom Network, and Cocos-BCX. Recently, United Labs of Blockchain Technology based in China did an analysis of the three leading projects in the space. Loom Network It is the second layer scaling solution for Ethereum [ETH], the second largest cryptocurrency in the space and the leading smart contract platform. This scaling solution enables DApps with large transaction volumes to scale to millions of users. More so, Loom achieves this without causing major congestion on the Ethereum blockchain. The primary product of the Loom network is SDK. It enables developers to build blockchains without the need of understanding its mechanisms. The key feature of Loom SDK is the generation of DApp chain, a Layer 2 blockchain that uses Ethereum blockchain as its base layer. It is an application-specific chain that functions parallel to the Ethereum’s main chain. Here, the rule can be customized based on the use-case of the application, whereas the security is entrusted to the mainchain’s consensus algorithm. Loom Network currently has three sidechains namely, PlasmaChain GameChain SocialChain PlasmaChain is a revamp of ZombieChain and is considered to be the most important chain among the three. The chain was rebranded as it was going to be the center-point for token transactions that are linked to Ethereum via Plasma Cash. In simple terms, PlasmaChain is a built-in decentralized exchange that acts as a bridge to Ethereum mainchain and other sidechains, thereby enabling faster and cheaper transactions. Plasma Cash, on the other hand, is the scaling solution proposed by Vitalik Buterin, the creator of Ethereum, and Joseph Poon, the co-creator of Lightning Network. The solution is basically adding a layer of smart contract that interacts with the main chain. This is done in order to decrease the transaction fees associated with smart contract and developer applications. Features of PlasmaChain In order to support ETH, ETC20 and ERC71 token transactions, Plasma Chain is linked to the mainnet Has it own built-in decentralized exchange Allows payments of fees in Ethereum and Loom token Will enable BTC payments in the future Will link Plasma Cash to Layer 3 chains, with PlasmaChain as the main chain Plasma Chain architecture | Source: Loom Network Much to users’ delight, Loom network and Cocos-SDK have partnered up with each other in order to integrate Cocos-SDK in Loom DApp development environment. This basically means that the Loom network would be releasing a developer application chain support for the gaming platform. TRON Tron is one of the most popular cryptocurrencies in the space, currently the eighth-largest cryptocurrency by market cap. Tron is also one of the largest blockchain-based operating systems around the world, aiming to surpass Ethereum in the next few months. Unlike Ethereum’s Proof-of-Work [PoW] consensus mechanism, Tron chose Delegated Proof-of-Stake [DPoS] consensus mechanism, which supports smart contracts. The platform strives towards building a “free, global digital content entertainment system with distributed storage technology and allows easy and cost-effective sharing of digital content”. The key features of Tron are high-throughput, high-reliability, and high-scalability, all of which focus on supporting developer applications. More so, Tron fundamentally has three main layers: Application Layer Core Layer Storage Layer These layers are further divided into different levels based on their features. Storage Layer comprises of block storage and state storage, Core Layer comprises of Tron Virtual Machine [TVM] and TVM compatibility with Ethereum Virtual Machine [EVM], and Application Layer comprises of DApps and wallets. Additionally, Tron protocol is well-known because of Protobuf, a protocol that is used to generate code, and which supports multi-language extension. The languages supported on Tron include JAVA, Scala, C++, Python and Go. This enables clients to develop applications in an easier way by unifying the API definitions. It also paves the path for optimized transfer of data. According to the report, Tron will be collaborating with Cocos-BCX in order to enable cross platform digital asset circulation. The collaboration will ensure the integration of fungible token standard of Tron and CoCos-BCX. Cocos-BCX Cocos-BCX is one of the most popular end to end solutions for decentralized game development. The core features of the platform are the game engine, development environment, and its own blockchain. Cocos-BCX, similar to Tron, makes use o

a month ago

Nebulas NOVA DIP Data Recap - Week 4: Let's take a moment, l...

Nebulas NOVA DIP Data Recap - Week 4: Let's take a moment, look at the winners & review the stats together. In addi… https://t.co/qnOvsm7aZ4

a month ago

Bitcoin (BTC) chega em US$ 4.000 pela segunda vez em 2019

Por: Livecoins A semana aquecida no mercado fez o preço do Bitcoin (BTC) voltar a atingir US$ 4 mil. Sendo assim, essa é a segunda vez que a criptomoeda chega neste valor em 2019. Com esse aumento, o Bitcoin (BTC) mantém um bom desempenho no mercado, conquistado nas últimas semanas. Além da criptomoeda número um em volume de capitalização no mercado, outros altcoins viram os seus preços aumentarem expressivamente nos últimos dias. Há cerca de duas semanas o preço do Bitcoin (BTC) voltava a subir no mercado. Isso aconteceu após a criptomoeda aumentar de cerca de US$ 3.403,52 (05:44:00 UTC-3) para US$ 3.677,21 (17:44:00 UTC-3) no último dia (8). Desse modo, com esse aumento o preço do Bitcoin (BTC) manteve-se por volta de US$ 3.600 durante vários dias, antes de subir novamente para alcançar os US$ 4 mil nesta semana. Bitcoin (BTC) vive dias de glória no mercado de criptomoedas Após aumentar seu valor, o preço do Bitcoin (BTC) não voltou a cair, demonstrando ter força suficiente para testar novos valores. Dessa forma, por quase dez dias o preço do Bitcoin (BTC) cravou uma resistência por volta de US$ 3.600. Após esse período, a criptomoeda voltou a subir no mercado. Sendo assim, já no fim do último domingo (17), o Bitcoin (BTC) viu seu preço atingir US$ 3.716,36 (23:44:00 UTC-3) e não parou de subir desde então. A criptomoeda começou a semana otimista e o reflexo do mercado de touros continua a impulsionar o Bitcoin (BTC). Já na segunda-feira (18), o preço do ativo digital continuou a subir e registrou US$ 3.732,21 (00:29:00 UTC-3). Contudo, esse aumento continuou durante todo o dia, fazendo a criptomoeda atingir US$ 3.966,02 (21:59:00 UTC-3) em seu melhor desempenho nos últimos dias. Foi somente nesta terça-feira (19) que o preço do Bitcoin (BTC) alcançou novamente a marca de US$ 4 mil. Sendo assim, essa é a segunda vez que a criptomoeda atinge esse valor em 2019. A outra vez aconteceu entre os dias (06) e (09) de janeiro. Além disso, a criptomoeda viu esse valor ser registrado por algumas horas também no dia (10). O Bitcoin (BTC) atingiu o preço de US$ 4.002,89 (10:59:00 UTC-3) no meio da manhã desta terça. Contudo, foi às (11:04:01 UTC-3) que o ativo digital viu seu maior preço atingido no dia, sob o valor de US$ 4.010,88. Ethereum (ETH) e Bitcoin Cash (BCH) também crescem no mercado O aquecimento do mercado também impulsionou altcoins em uma onda de valorização. No caso do Ethereum (ETH), o ativo digital viu seu preço aumentar em mais de 15% nesta segunda-feira (18). Porém, foi somente na manhã desta terça-feira (19) que o altcoin alcançou US$ 149,31 (11:04:02 UTC-3). Esse aumento total representa mais de 20% de crescimento para o Ethereum (ETH) nos últimos sete dias. Já no caso do Bitcoin Cash (BCH), a criptomoeda praticamente acompanhou os índices do Ethereum (ETH). Com uma expressiva valorização na segunda (18), o hard fork do Bitcoin (BTC) viu seu preço chegar bem perto de US$ 150. Desse modo, na manhã desta terça-feira (19), o Bitcoin Cash (BCH) registrou o preço de US$ 149,56 (10:29:03 UTC-3). O artigo Bitcoin (BTC) chega em US$ 4.000 pela segunda vez em 2019 foi publicado originalmente em Livecoins.

a month ago

Petro: Porque a Venezuela resolveu criar sua própria criptomoeda

Por: Livecoins A Petro é uma criptomoeda que surge para garantir uma maior estabilidade à economia hoje em crise da Venezuela. Isso porque auxilia consideravelmente na diminuição da dependência financeira interna do país em relação ao dólar e aos constantes embargos norteamericanos às commodities venezuelanas, especialmente o petróleo. Agora, o que sustenta a manutenção da crise desse país? Quais as principais bases dessa criptomoeda que tem gerado tanta polêmica? VENEZUELA EM DESENVOLVIMENTO Desde metade do século XX, a Venezuela focou sua economia quase que inteiramente no seu grande volume de petróleo. Entre as décadas de 50 e 80, os salários e a renda per capita dos venezuelanos eram os mais altos da América Latina. Muito desse passado próspero teve relação com a restrição da oferta da matéria-prima em 1970, o que elevou consideravelmente o seu preço no mercado internacional. Por conta do grande volume de petrodólares (dólares obtidos com a exportação do petróleo) negociados naquela época, a Venezuela se mantinha com fortes promessas de crescimento e desenvolvimento econômico. Essa riqueza levou o país a ser batizado de “Venezuela Saudita”: “Em contraste com o Brasil, a Argentina, o Uruguai e o Chile, que viviam ditaduras militares, a Venezuela era governada por presidentes eleitos pelo voto popular. O país já havia passado por golpes de Estado e ditaduras”[1]. Na presidência de Hugo Chaves, a Venezuela presenciou um aumento na qualidade de vida principalmente da população mais pobre, quando, desde o início dos anos 2000 até a primeira metade da década de 2010, houve uma grande melhora nos índices de analfabetismo, de saúde, de pobreza, e do avanço econômico e social do país. OS ESTADOS UNIDOS E A VENEZUELA EM QUEDA Chaves, por outro lado, era um forte crítico dos Estados Unidos, inclusive partindo para o ataque pessoal contra membros do governo americano. Os Governos norteamericanos e seus aliados começaram a impor sanções internacionais e embargos econômicos contra a Venezuela. Nicolás Maduro, eleito em 2013, além de enfrentar alta taxa de inflação e grande escassez de bens, herdados do governo anterior - fruto da queda dos preços do petróleo - de USD 110,53, em 2013, para USD 57,49, em 2016, e do boicote externo -, se deparou também com o então Presidente dos Estados Unidos Barack Obama, em 2015, assinando um decreto presidencial pelo qual declara a Venezuela “ameaça à segurança nacional”, além de impor sanções contra representantes venezuelanos. Mais recentemente, em agosto de 2017, Donald Trump impôs novas sanções ao à Venezuela com a intenção de “reestabelecer a democracia” no país sul-americano. Disse um comunicado da Casa Branca que “a nova medida do presidente proíbe realizar transações com títulos da dívida venezuelana e comprar bônus de sua empresa estatal petroleira (PDVSA)”[2]. Vale dizer que, com a exportação de petróleo, a Venezuela arrecada US$ 96 de cada US$ 100 em divisas, sendo que a necessidade de importar alimentos, medicamentos e bens de primeira necessidade, depende muito do desempenho do petróleo no exterior[3]. Além disso, novamente em 2018 mais uma série de medidas de embargo e restrição foram impostas à Venezuela pelos Estados Unidos, acusando o país de violações de direitos humanos e de não respeito à democracia. O PETRO E A BUSCA VENEZUELANA POR AUTONOMIA No início de 2018, o Governo venezuelano emitiu, em fase de pré-venda, a criptomoeda Petro, que, ao contrário das outras criptomoedas existentes, é baseada num controle estatal. Em 1º de outubro, começou a funcionar oficialmente como moeda de câmbio. Afinal, um plano de recuperação para uma Venezuela em crise. Antes mesmo de sua pré-venda, Donald Trump emitiu um decreto contra a Petro, proibindo a sua compra por qualquer empresa ou pessoa no seu país. Em janeiro de 2019, o governo da Venezuela anunciou a criação de um programa habitacional através do uso da Petro, buscando meios de encorajar seus cidadãos a comprarem propriedades essa criptomoeda. Segundo Ildemaro Villarroel, ministro de Habitação da Venezuela, “já existem imóveis atualmente disponíveis no esquema da Grande Missão Habitacional do país. Para estimular sua aquisição via Petro, o governo dará desconto de 10% em todas as propriedades que forem compradas usando a criptomoeda”[4]. No Whitepaper[5], o país divulgou como lastro da moeda na primeira venda o preço do barril de petróleo, do ouro, do ferro e do diamante, segundo estabelecido no Decreto 3.196, publicado na Gaceta Oficial 6.346/2017[6]. O petróleo, ademais, continua a ser o principal recurso de respaldo do valor da moeda, representando 50% do valor total. No restante das vendas, o valor do Petro deve estar definido somente conforme o valor do barril de petróleo. ` Além disso, como diz o site CanalTech, a Petro se torna a unidade contábil obrigatória para a PDVSA (Petróleos da Venezuela), a maior empresa estatal do país[7], e também deve ser usada para facilitar negociações internacionais e burlar sançõe

a month ago

Today is Lantern Festival in China, which marks the 15th &am...

Today is Lantern Festival in China, which marks the 15th & last day of Lunar New Year. Nebulas founder Hitters Xu s… https://t.co/1kzQYiYpv3

a month ago

Bitcoin (BTC) a US$ 5 mil? Entenda como criptomoeda poderá subir ainda mais

Por: Livecoins O preço do Bitcoin (BTC) atingiu uma valorização de mais de 5% na manhã desta segunda-feira (18). Com um mercado de touros impulsionando o crescimento da criptomoeda, tudo indica que o Bitcoin (BTC) voltará a ser cotado acima de US$ 5 mil. Segundo uma breve análise do desempenho da criptomoeda no mercado, o preço do Bitcoin (BTC) deverá continuar subindo. Após a queda do preço da criptomoeda no final de 2018, o preço do Bitcoin (BTC) nunca mais voltou a ser cotado acima de US$ 5 mil. Caso isso aconteça, esse será o melhor desempenho registrado pela criptomoeda nos últimos três meses. Preço do Bitcoin (BTC) não para de subir no mercado Na manhã desta segunda-feira o preço do Bitcoin (BTC) viu seu preço aumentar de forma surpreendente. Com essa onda de valorização, a criptomoeda atingiu valores acima de US$ 3.800. Por outro lado, faz pouco tempo que o ativo digital estava sendo cotado abaixo de US$ 3.600. Porém, após alguns dias de estabilidade no mercado, o preço do Bitcoin (BTC) voltou novamente a subir e essa onda de valorização deverá continuar. Com essa onda de valorização, o Bitcoin (BTC) deverá subir acima de US$ 4 mil em breve. Pelo menos essa é a aposta de uma análise referente ao desempenho da criptomoeda. Desse modo, após o token alcançar valores acima de US$ 3.700, a criptomoeda conseguiu quebrar uma resistência que vai impulsionar o seu o preço acima de US$ 4 mil. Após atingir o valor de US$ 4 mil, o Bitcoin (BTC) poderá experimentar valores ainda maiores. Porém, antes a criptomoeda deverá ser cotada entre US$ 3.940,00 e US$ 4.040,00 para que isso aconteça. Sendo assim, após esse movimento ser registrado, a criptomoeda demostrará estar pronta para chegar em US$ 5 mil. Criptomoeda quebrou importante índice de resistência A resistência do preço do Bitcoin (BTC) foi quebrada e a criptomoeda deverá testar novos valores no mercado. Com essa quebra de resistência, o preço do Bitcoin (BTC) poderá chegar até em US$ 5 mil. Dessa forma, esse valor poderá ser alcançado após a criptomoeda continuar a subir nos próximos dias. Por outro lado, um movimento contrário poderá acontecer. Caso o Bitcoin (BTC) não encontre um apoio em seu movimento de valorização, a criptomoeda poderá voltar a cair. Caso isso aconteça, o preço do Bitcoin (BTC) poderia voltar a resistência de valores próximos a US$ 3.500,00. Contudo, parece que esse desempenho seja pouco provável, tendo em vista o aumento do token nas últimas horas. O artigo Bitcoin (BTC) a US$ 5 mil? Entenda como criptomoeda poderá subir ainda mais foi publicado originalmente em Livecoins.

a month ago

Mercado explode: Bitcoin sobe mais de 4% e Ethereum quase 14%

Por: Livecoins A semana começou com bons números para os investidores de criptomoedas. Com uma alta de praticamente todos os principais ativos digitais, o mercado segue em completa valorização. O Bitcoin (BTC) já subiu mais de 4% nas últimas horas e o Ethereum (ETH) está quase chegando em 14%. O entusiasmo do mercado fez várias criptomoedas saltarem nesta segunda-feira (18). Em uma explosão de valorização nos preços, teve altcoin que subiu quase 50% em uma onda de crescimento repentina. Enquanto muitos esperam que esse movimento se consolide no mercado, alguns investidores já previam que as criptomoedas fossem crescer no início desta semana. Preço do Bitcoin (BTC) dá sinais de recuperação Nos últimos dias as principais criptomoedas mantiveram-se em uma zona de resistência alcançada recentemente. No caso do Bitcoin (BTC), por exemplo, a criptomoeda estava por volta de US$ 3.600,00 nos últimos dias. Com uma pequena oscilação, por quase uma semana esse valor foi mantido pelo ativo digital. Esse comportamento, na maioria das vezes, precede um aumento do valor da criptomoeda. Após alcançar um índice de resistência maior que seu preço nos últimos dias, o Bitcoin (BTC) estava prestes a tentar uma subida mais vertiginosa. E isso parece acontecer na manhã desta segunda-feira (18) no mercado animado com um crescimento de quase US$ 5 bilhões nas últimas horas. Ethereum subiu quase 14% Enquanto Bitcoin (BTC) cresceu mais de 4% nas últimas horas, alcançando o preço de cerca US$ 3.778,00, o Ethereum (ETH) é um dos altcoins que mais se destaca nessa onda de valorização no mercado. O ativo, atualmente o segundo maior do mercado, se valorizou em quase 14%. Isso fez com que o Ethereum (ETH) fosse cotado em quase US$ 145,00. O crescimento das principais criptomoedas reflete uma onda de valorização que poderá se estender por toda a semana. Após viver vários dias com uma certa estabilidade, as criptomoedas experimentam uma nova onda de crescimento. Essa onda pode ter sido impulsionada por vários fatores, como atualizações de ativos de peso no mercado, como o Ethereum (ETH), por exemplo. WAX (WAX) teve melhor desempenho e chegou em quase 50% nas últimas horas Além das duas maiores criptomoedas do mercado, outros ativos digitais estão em uma onda repleta de valorização. Entre os maiores desempenhos está o WAX (WAX). Esse altcoin viu seu preço se valorizar em quase 50% nas últimas horas. Desse modo, o WAX (WAX) registrou o maior crescimento entre as cem maiores criptomoedas. Em segundo, logo atrás do (WAX), está o Komodo (KMD), que subiu cerca de 33%. Com essa valorização, essa altcoin atingiu o valor de US$ 1,07. Já em terceiro lugar entre os melhores desempenhos registrados até o fim da manhã deste dia, está o Veritaseum (VERI), que subiu 29,03% alcançando o valor de US$ 21,97 no mercado. O artigo Mercado explode: Bitcoin sobe mais de 4% e Ethereum quase 14% foi publicado originalmente em Livecoins.

a month ago

Meio milhão de usuários afetados em novo hack em corretora de bitcoin

Por: Livecoins A Coinmama, corretora de criptomoedas com sede em Israel, sofreu um grande vazamento de dados, resultando em 1,3 milhão de usuários expostos a hackers, conforme declarado em um comunicado oficial ontem, 15 de fevereiro. A empresa que permite usuários comprar Bitcoin e Ethereum com cartões de crédito foi uma entre 24 empresas que foram atacadas como parte de um hack multi-plataforma. De acordo com o comunicado da empresa, informações de 450.000 usuários foram postadas na deepweb. No comunicado a empresa afirmou: Hoje, 15 de fevereiro de 2019, a Coinmama foi informada de uma lista de e-mails e senhas com hash que foram postados em um registro da deepweb. Nossa equipe de segurança está investigando e, com base nas informações disponíveis, acreditamos que a invasão está limitada a cerca de 450.000 endereços de e-mail e senhas com hash de usuários que se registraram até 5 de agosto de 2017. As credenciais da Coinmama roubadas são parte de um vazamento muito maior. A ZDNet informou em 14 de fevereiro que um total de 747 milhões de credenciais roubadas de 24 sites estavam à venda, das quais a parcela Coinmama é uma pequena fração. Toda a coleção de senhas de usuários estava à venda no mercado da deep web chamado “Dream Market” por cerca de US $ 15.000. Alguns sites, como o Haveibeenpwned.com, indexam credenciais roubadas para que os usuários possam verificar se suas próprias credenciais estão comprometidas e são conhecidas por ladrões de identidade. A Coinmama incentiva os usuários com contas potencialmente afetadas a alterar suas senhas o mais rápido possível. Nenhuma criptomoeda como Bitcoin, Ethereum e Ripple foram roubadas das carteiras dos usuários e a equipe de segurança da Coinmama está investigando o ataque. Breaking: #Coinmama hacked and 450,000 users were effected. Make sure you change your passwords if you used the site to buy Bitcoin. pic.twitter.com/2w1OyXmpoe — Jacob Canfield🔰(Official Account) (@JacobCanfield) February 16, 2019 A violação de segurança do banco de dados da Coinmama ocorre em um período durante o qual a confiança no mercado de criptomoedas está em declínio devido a casos como a QuadrigaCX. Embora nenhum fundo tenha sido roubado, o incidente pode deteriorar ainda mais a imagem das corretoras de criptomoedas. Nos últimos meses, as exchanges de ativos digitais começaram a ser percebidas como plataformas com sistemas internos de gerenciamento e medidas de segurança fracos, apesar do forte histórico das principais bolsas de criptomoedas que estão estabelecendo padrões da indústria. Enquanto muitas corretoras como Coinbase e Binance não sofreram uma falha de segurança ou um ataque de hackers na totalidade de sua existência, o crescente número de questões relacionadas com a segurança no mercado intensificou as preocupações dos investidores do mercado. Segundo relatos, o hacker responsável pelo ataque atende pelo nome de “Gnosticplayers” e colocou 127 milhões de registros de usuários no Dream Market. A brecha de segurança da Coinmama é o segundo hack no mercado de criptomoedas neste ano, sendo o primeiro a Cryptopia. O artigo Meio milhão de usuários afetados em novo hack em corretora de bitcoin foi publicado originalmente em Livecoins.

a month ago

Binance DEX chegando e Airdrop do BitTorrent, confira as novidades

Por: Livecoins Binance, a maior bolsa de criptomoedas do mundo por volume diário de transações, planeja lançar sua exchange descentralizada para testes públicos em 20 de fevereiro. A informação foi confirmada pelo Twitter oficial do CEO da Binance, CZ, que postou no último dia 11 de fevereiro a informação de que no próximo dia 20 a DEX será apresentada ao mundo em uma versão de testes. A informação chega em um momento bom para a exchange, que além de lançar novas ferramentas para traders tem visto seu token BNB figurar entre os 15 maiores do mercado cripto no quesito market cap. A Binance DEX terá integração com hardware wallets, conforme havia sido dito pelo Livecoins recentemente, o que faz com que a operação já possa mostrar mesmo na versão de testes o funcionamento destes recursos. Airdrop do BitTorrent na Binance No blog da empresa, foi anunciado no dia 12 que o airdrop do BitTorrent (BTT) também foi finalizado para todos os clientes elegíveis ao recebimento, sendo necessário cumprir requisitos como ter pelo menos 100 Tron na exchange no dia 11, no horário 15:59 (UTC). O airdrop foi finalizado no dia 11 de fevereiro, com a proporção de 0.1097 BTT para cada 1 TRX depositado na conta. As operações envolvendo Tron tem tido grande procura desde o anúncio deste airdrop, fazendo com que esta criptomoeda ocupe a 8ª posição do mercado já por alguns dias. Com o lançamento do token BitTorrent, a Binance também viu uma grande procura pelo ativo principal da rede Tron e anunciou no dia 14 um suporte a mais pares de negociação com o BTT. A partir do dia 15, os traders poderão comprar e vender BTT nos pares PAX, TUSD e USDC, que são stablecoins lastreadas em dólar. No momento da escrita deste, dentre os três maiores pares de negociação por volume na Binance, estavam BNB/BTC na primeira posição e BTT/BTC na terceira posição. Fonte: binance.com Apesar disso, no par BTC o token BitTorrent era a moeda que mais se desvalorizava nas últimas 24 horas, com -7% de valor em relação ao Bitcoin. Fonte: binance.com O artigo Binance DEX chegando e Airdrop do BitTorrent, confira as novidades foi publicado originalmente em Livecoins.

a month ago

Criptomoedas correm riscos em exchanges, entenda

Por: Livecoins Manter criptomoedas armazenadas em exchanges pode não ser uma boa escolha para os investidores. Ataques podem acontecer e investidores poderão ficar sem ver seus fundos para sempre. Para isso existem as carteiras digitais, que podem ser físicas e até off-line. Com a especialização cada vez mais aprofundada de hackers, algumas exchanges podem ser consideradas vulneráveis. Além de perder tudo por conta de um ataque, alguns infortúnios podem acontecer, resultando também na perda total das criptomoedas armazenadas em uma exchange. Sendo assim, a melhor opção é optar por uma carteira compatível com a criptomoeda utilizada pelo investidor. Por outro lado, até mesmo uma carteira pode ser hackeada, por isso, todo cuidado é necessário quando o assunto é armazenamento de criptomoedas. Exchange atacada em 2014 perdeu 744 mil Bitcoins A maioria dos investidores apenas mantêm os seus ativo digitais nas exchanges enquanto estão em negociação. Dessa forma, fundos são transferidos para exchanges em busca de comprar ou vender alguma criptomoeda. Porém, nem todos os investidores agem dessa forma e muitos deixam seus fundos armazenados em exchanges, sem se importar com que pode acontecer. Um dos ataques mais clássicos aconteceu contra a Mt. Gox, que perdeu dezenas de milhões de dólares em criptomoedas durante um ataque em 2014. Somente após quatro anos depois do ataque que a empresa passou a restituir seus investidores, após recuperar parte dos Bitcoins roubados. Na ocasião, cerca de 744 mil Bitcoins foram roubados da exchange. Com isso, milhares de usuários ficaram longos anos sem ver os seus fundos mantidos na empresa pouco antes do ataque. Esses ataques podem resultar na perda de todos os fundos para aqueles que não utilizam carteiras para armazenar suas criptomoedas. Em alguns casos, o ressarcimento pode acontecer, porém, em outros, ninguém sabe o que acontecerá. Mortes podem resultar na perda total de criptomoedas Além de ataques de hackers, algumas coisas completamente imprevisíveis pode acontecer. Recentemente uma exchange perdeu o acesso a todos os seus fundos. A empresa era uma das maiores do Canadá, que viu mais de US$ 190 milhões em criptomoedas serem bloqueados. Isso aconteceu após o dono da exchange QuadrigaCX morrer precocemente aos 30 anos. Com a morte de Gerald Cotten, a exchange perdeu o acesso a carteira em que era armazenado as criptomoedas de milhares de usuários. Cotten era o único que tinha acesso a carteira da exchange, portanto, ninguém mais tinha acesso ao dispositivo a não ser ele. Nem mesmo a viúva de Cotten conseguiu encontrar meios de acessar o computador do falecido marido. Nesse caso inusitado, investidores pagarão com seus fundos por uma tragicidade que aconteceu envolvendo uma enorme exchange. Coisas desse tipo podem acontecer, e por isso, manter criptomoedas armazenadas em exchanges pode trazer sérios riscos. O artigo Criptomoedas correm riscos em exchanges, entenda foi publicado originalmente em Livecoins.

a month ago

Blockchain e Inteligência Artificial vão dirigir seu carro

Por: Livecoins O mundo está em choque com as perspectivas de futuro tecnológico, com ferramentas que poderão fazer muito mais que o humano e com menos esforço. Inteligência Artificial quando retratada em filmes parece ser uma tecnologia destrutiva, vide skynet e rainha vermelha, duas AIs que tentaram exterminar os humanos. Porém, este tipo de tecnologia ainda não é uma realidade atualmente. No ponto em que estamos, no início de 2019, os pesquisadores estão atuando com a pesquisa em Inteligência Artificial (IA) do tipo super-fraca, que visa resolver problemas pequenos da vida humana, em uma ilusão ao trabalho de uma formiga. Neste ponto, a blockchain surge como uma iniciativa para unir forças com a IA para resolver outro problema que o ser humano enfrenta, a condução de carros pelas cidades. Já se sabe que os carros autônomos, aqueles que não precisam de motoristas humanos, se encontram em fases de testes por várias empresas pelo mundo e que poderiam ser uma solução para um trânsito mais seguro e totalmente diferente do que conhecemos nos dias de hoje. Vários destes testes de carros autônomos estão utilizando a Inteligência Artificial Fraca para conduzir os carros, processando milhares de informações de câmeras e sensores. Os códigos assumem o pior cenário possível sempre, visando cautela máxima da condução a cada quilômetro percorrido para cuidar da segurança dos passageiros. Este modelo de IA Fraca, porém, não é a forma mais segura para se conduzir os carros de acordo com especialistas, pois, estão suscetíveis a ataques hackers e outros problemas que o passageiro ainda teria que prestar atenção no caminho. Com a Inteligência super-fraca então, os detalhes que serão coletados pelos carros serão simples, como dados de outros carros e de infraestrutura. Mas garantir a segurança destes dados é o ponto crítico, sendo aqui que entraria a blockchain. A blockchain é uma tecnologia que salva a informação de forma descentralizada, com segurança e imutabilidade. Essas características são essenciais para resolver o problema da condução com carros autônomos e IA super-fraca. Com uma rede blockchain segura operando os dados da rede, os carros autônomos podem confiar que os dados recebidos são seguros e seguir seu caminho, sendo que os passageiros agora sim poderão confiar em ler um livro e até “tomar uma gelada” enquanto vão de um ponto a outro. Alguns poderão criticar a solução, visto que os carros não irão percorrer os trajetos com velocidade, mas considerando que a rua é “inteligente”, o trânsito será fluente e esse problema não será tão relevante assim. A rede poderá evitar carros que se comportem de maneira anormal também, mostrando que novamente o consenso da blockchain poderia ter novamente um destaque neste ponto. Se você pensa que isso está longe de acontecer, a Business Insider publicou um relatório no ano de 2016 que estimava que em 2020 já haveriam cerca de 10 milhões de carros autônomos nas ruas. Fonte: https://medium.com/datadriveninvestor/merging-ai-and-blockchain-isnt-a-hype-overdose-it-s-the-future-of-autonomous-driving-fc106149619c É óbvio que ao se falar de infraestrutura para a Inteligência Artificial e Blockchain atuarem juntas, se pensa em reformar tudo, como semáforos, ruas, ou seja, muita coisa tem que acontecer para a novidade embalar. Governantes que afirmarem ser gastos absurdos poderão estar enganados, pois, a economia gerada por um modelo como este é enorme, além de ser sustentável. Estima-se que as pessoas nem precisarão se preocupar com habilitação, muito menos com possuir um carro. A realidade que se aproxima é totalmente diferente do que conhecemos, sendo que a blockchain é uma das tecnologias que compõe o pilar desse desenvolvimento. O artigo Blockchain e Inteligência Artificial vão dirigir seu carro foi publicado originalmente em Livecoins.

a month ago

Blockchain e Criptomoedas são destaque na 12ª Campus Party Brasil

Por: Livecoins Solta no ar, a jovem sobrevoa uma cadeia de montanhas. A sensação é maravilhosa e seu coração está acelerado. Não é pra menos. Afinal, esta é a primeira vez que ela voa de asa-delta. O único detalhe, caro leitor, é que a descrição acima não passa de uma simulação em 3D. E ela pode ser conferida em um dos maiores eventos de tecnologia do mundo, a Campus Party Brasil (CPBR). O simulador de asa-delta é apenas uma das atrações do evento, que ocorre entre os dias 12 e 17 de fevereiro no Expo Center Norte, em São Paulo. Apresentando sua 12a edição, a Campus Party reúne amantes do empreendedorismo, inovação, games, cultura pop e, claro, criptomoedas e blockchain. Durante os 5 dias de evento, quase 20 palestras e workshops serão direcionados ao tema cripto. Com assuntos que vão desde os primeiros passos para começar no desenvolvimento de blockchain, passando pelo futuro dos games digitais, até uma oficina prática voltada para crianças, que pretende explorar o dinheiro e os trabalhos do futuro. Outra novidade é estreia da Oracle, empresa americana especialista no desenvolvimento de software, hardware e banco de dados. A multinacional está patrocinando o espaço WS Blockchain, que terá intensa programação voltada para o tema. Invasão cripto Os palestrantes não deixam a desejar. Um dos nomes mais esperados da noite de ontem (13) foi Jake Yocom-Piatt, conhecido no ecossistema descentralizado por ser o líder do projeto Decred, criptomoeda com foco no desenvolvimento e adepta do sistema híbrido PoW e PoS, prova de trabalho e prova de participação, respectivamente. Em sua conferência, Segurança de Criptomoedas e Adaptabilidade, Yocom-Piatt discutiu, no palco Feel the Future, as propriedades do Decred, ao mesmo tempo em que analisou os sistemas de consenso usados pelas criptomoedas modernas. De acordo com o palestrante, o protocolo puramente PoW requer um investimento de larga escala em hardware para a mineração, enquanto que um sistema exclusivamente PoS corre um risco maior de acabar centralizado nas mãos de alguns players. Sob o olhares atentos dos campuseiros, Yocom-Piatt encaminhou a discussão para as vantagens dos sistemas híbridos, presente em criptomoedas como Dash e a própria Decred, destacando a segurança, o senso de comunidade e a participação ativa do investidor, como pontos fortes. Já Marjorie Damasco, Product Marketing da Bettha - Betther Than, foi destaque no palco Blockchain, Criptomoedas e Suas Disrupturas Reais e Potenciais, ao explicar as bases que norteiam a tecnologia e sua aplicação no Brasil. Apesar de utilizar alguns exemplo de como as criptomoedas e a blockchain estão cada vez mais presente no cotidiano das pessoas — citando empresas nacionais focadas na tecnologia em bloco, como é o caso da Original My — Damasco ponderou que o movimento de descentralização no Brasil ainda é tímido, principalmente se for comparado com países mais inclinados à regulamentação das moedas digitais. Ainda dá tempo Para os interessados no maior evento de tecnologia do mundo, ainda dá tempo de garantir os ingressos, à venda no site oficial da Campus Party Brasil. Mas se a grana estiver curta, não desanime. Há uma parte do evento com circulação gratuita das 10h às 20h, entre os dias 13 e 15 de fevereiro. Já no dia 16/02, sábado, o espaço estará aberto das 10h às 16h. Também é possível conferir mais de mil horas de conteúdo, dispostas nos 8 palcos do evento, de forma online e ao vivo. Basta acessar o portal da CPBR. O que: Campus Party Brasil Quando: 12 à 17 de fevereiro de 2018 OPEN CAMPUS Funcionamento da Open Campus: de 13 de fevereiro a 15 de fevereiro: 10:00 às 20:00, com circulação de pessoas até às 21:00. Em 16 de fevereiro: 10:00 às 16:00, com circulação até às 17:00 Onde: Expo Center Norte - Rua José Bernardo Pinto, 333 - Vila Guilherme, São Paulo (SP) O artigo Blockchain e Criptomoedas são destaque na 12ª Campus Party Brasil foi publicado originalmente em Livecoins.

a month ago

💖Happy Valentines Day💖 to the Nebulas community! Don't forge...

💖Happy Valentines Day💖 to the Nebulas community! Don't forget to show those special people in your life how much yo… https://t.co/QixFY6KsuS

a month ago

Start a breathtaking chase - Nebulas NOVA testnet Developer ...

Start a breathtaking chase - Nebulas NOVA testnet Developer Incentive Program. In the third weeks, 2nd started to m… https://t.co/1BnYJlsPcD

a month ago

Weekly Report 68 - Developer Updates: Nebulas developers hav...

Weekly Report 68 - Developer Updates: Nebulas developers have been busy optimizing the build scripts for… https://t.co/KWMorQVY8f

a month ago

We want to hear from you! The Nebulas team recently created ...

We want to hear from you! The Nebulas team recently created a new forum for the #Blockchain & #cryptocurrency commu… https://t.co/jYTty7mZoH

a month ago

From his humble beginnings at AntShares(@NEO_Blockchain ) to...

From his humble beginnings at AntShares(@NEO_Blockchain ) to co-founding Nebulas, @AeroWang101 has seen it all. He… https://t.co/v7XvzPYy9C

a month ago


News courtesy of berminal.com
Enjoying our data? We have spent over 4000 hours on Platform Development and Coin Research. Donations are welcome!
Trading and investing in digital assets is highly speculative and comes with many risks. The analysis / stats on CoinCheckup.com are for informational purposes and should not be considered investment advice. Statements and financial information on CoinCheckup.com should not be construed as an endorsement or recommendation to buy, sell or hold. Please do your own research on all of your investments carefully. Scores are based on common sense Formulas that we personally use to analyse crypto coins & tokens. We'll open source these formulas soon. Past performance is not necessarily indicative of future results. Read the full disclaimer here.
Dark Theme   Light Theme
1